Sobre mim

Formação Académica:

  • Mestrado integrado em Medicina
    • Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, concluída em 2010.
  • Internato Complementar de Medicina Interna
    • Serviço de Medicina Interna do Hospital de Cascais, 2012 – 2018.
  • Pós-Graduação em Medicina do Doente Crítico
    • Reanima-2016/2017.
  • Fellow de Medicina Intensiva
    • Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Cascais, 2018 ao presente.

Funções clínicas no SNS:

  • Médica UCI
  • Médica VMER
  • Hospital de Cascais

Consulta de Medicina Interna:

  • Lusíadas- Parque das Nações;
  • Joaquim Chaves- Cascaishopping;
  • Clinica Sabeanas;
  • Consulta online.

Uma breve apresentação…

Ana Isabel Pedroso, tenho 36 anos e sou natural de Lisboa. Moro em Cascais e sou Mãe de duas crianças fantásticas um menino e uma menina (8 e 6 anos). Sagitário de signo e compatível com o mesmo: otimista, sonhadora, sempre com vontade de ir mais além, com boa energia e positivismo.


Praticante de ballet e natação na infância, tenho gosto pela prática de desporto ao ar livre, já que adoro tudo o que está relacionado com a Natureza.
Sem dúvida um forte marco na minha vida, o voluntariado. Durante todo o meu crescimento até ter terminado a Faculdade, fiz ativamente parte de uma associação que me permitiu crescer a dar um pouco de mim e a receber tanto dos outros, através do voluntariado.

Curiosamente, a maioria dos médicos têm médicos na família, eu não. Mas o ajudar o outro sempre me despertou interesse. Decidi muito nova que queria ser médica, e caminhei sempre com esse objetivo.
Com 10 anos de experiência clinica, optei pela Medicina Interna pois é uma especialidade mais de doentes do que de doenças, o que faz com que o Internista seja o médico do doente e não o somatório do Cardiologista, Nefrologista, Pneumologista, Neurologista e Endocrinologista.


A prática clínica em Medicina Interna implica a aquisição de um grande volume de conhecimentos que excedem a vertente puramente científica e incluem aspetos psicológicos, emocionais e sociais. Para além desta vertente multidisciplinar e da atitude centrada no doente, a prática diária da Medicina Interna caracteriza-se ainda pela necessidade de conhecimentos sólidos sobre os diversos órgãos e sistemas para o tratamento integrado destes doentes. O combinar de todas estas vertentes torna a minha especialidade mãe um desafio de enormes dimensões. O meu entusiasmo e vontade de aprender convivem e persistem comigo até aos dias de hoje. A diversidade da Medicina Interna, com a sua clinica exuberante, os seus diagnósticos diferenciais estimulantes, o seu desafio do dia-a-dia faz os meus dias preenchidos de alegria, fazendo de mim o que sou hoje. Ao longo de tantos anos de formação tornou-se impossível revelar-me dissociando-me da Medicina Interna, incrustou-se em mim de tal forma, que aos meus olhos, não existe Medicina que não holística, não concebo que o meu doente não venha sempre primeiro e só sou feliz se a praticar.

Desta relação próxima que gosto de ter com o doente, faz parte outra área que me é importante: a divulgação de informação médica de forma fácil e acessível- Comunicação em Saúde.

Desde 2016 que participo de forma pública em diversos programas de televisão, rádio e escrevo artigos de opinião, sempre com o mesmo intuito: passar informação fidedigna ao público em geral e tentar tirar as dúvidas que possam surgir.

%d bloggers like this: